Governo pretende facilitar mudança de dívida de banco

09/05/2012 

O governo quer que a migração de dívida de um banco para outro passe a ser feita on-line e que o cliente não precise mais fazer uma peregrinação entre dois bancos para refinanciar seus débitos.
A medida é parte da próxima ação da equipe da presidente Dilma Rousseff para tentar reduzir o custo dos empréstimos, que passará também pelo aperfeiçoamento do cadastro que atesta o bom histórico de crédito do cliente.
A nova etapa vem depois de o governo decidir mudar o rendimento da caderneta de poupança com o objetivo de permitir que o Banco Central continue reduzindo os juros básicos da economia. Antes, os bancos públicos baixaram algumas taxas, sendo seguidos pelos privados.
Agora, a meta é tomar medidas para forçar os bancos a cortar seus “spreads” –diferença entre o que eles pagam ao captar recursos e o que cobram ao emprestar aos clientes. Essa cobrança é considerada abusiva pelo governo.

Você sabe o que é portabilidade bancária?

Paula Furlan

A exemplo da telefonia e planos de saúde, o consumidor pode agora também recorrer à portabilidade bancária, que dá ao consumidor o direito de transferir dívidas e saldos de contas-salários de um banco para outro. Apesar de pouco conhecida, o serviço está em vigor desde 2006.

A operação é simples, rápida e fica a critério do cliente. Se o cliente tem o pagamento depositado no banco “X” e o empregador passará a depositar em outro “Y”, o empregado não precisa mudar de conta caso não queira. Só precisa procurar o gerente da sua conta atual e fazer o pedido por escrito. Você tem esse direito e pode receber todos os meses através da conta de sua escolha.


Em suma, quem tem uma conta-salário feita pela empresa em que trabalha para receber o salário no fim do mês, pode escolher em qual banco quer receber o dinheiro. É um direito de escolha do cliente, garantido pela resolução 3.402, criada em 2006, pelo Banco Central. Não é preciso pagar taxa alguma pelo serviço. O empregador pode colocar o dinheiro em nova conta “Y” e o banco, responsável pelo dinheiro, repassa ao outro banco de sua escolha através de DOC.

Portabilidade também é aplicada aos empréstimos

A resolução esclarece que quem possui empréstimos também tem direito à portabilidade bancária. A diferença é que a transferência acontecerá já com o desconto do valor da prestação. Procure o seu gerente para maiores esclarecimentos, porque essa operação pode envolver taxas, descontos, entre outros detalhes que você deve procurar saber antes de realizar a operação, para não acabar envolvido em operações de risco.