Perícia em sabonete que feriu bebê encontra objeto ‘similar a vidro’

Sabonete usado pela avó foi apreendido pela polícia (Foto: Fernando da Mata/G1 MS)
Um material similar a um vidro, com 3,1 milímetros de comprimento, foi encontrado por peritos no sabonete da marca Pom Pom que teria arranhado um bebê de 10 meses, no dia 17 de fevereiro, em Campo Grande. O resultado do exame foi divulgado nesta quarta-feira (17) pelo delegado responsável pelo caso, Natanael Balduíno. Procurada pelo G1, a fabricante informou que não foi notificada a sobre o laudo e, por isso, não poderia se manifestar sobre o caso.
Segundo o delegado, os peritos precisaram fazer uma análise microscópica para encontrar o objeto. O próximo passo do inquérito será identificar o lote

do produto. “Eu vou entrar em contato com a empresa que mãe da criança disse ter fabricado o produto e verificar o que aconteceu”, relatou ao G1Apesar do resultado do laudo, Balduíno acredita se tratar de um caso isolado, possivelmente causado por alguma distração na fabricação do sabonete, mas afirma que a Vigilância Sanitária será acionada ainda. “Se houvesse outros casos, as pessoas teriam reclamado e assim não haveria dúvida de um problema no lote. Eu pretendo acionar a vigilância para apurar o que aconteceu na fábrica”, concluiu. O delegado espera ainda o resultado do exame corpo de delito feito na criança.

Marcas

O incidente aconteceu no hora do banho. A avó, Geanea Gonçalves, 46 anos, relatou que o menino começou a chorar muito, notou sangue na água e em seguida viu arranhões nas costas dele.A estudante Suzany Medeiros Barbosa, 23 anos, mãe do garoto, postou uma foto dos ferimentos em uma rede social. O objetivo, segundo ela, era fazer um alerta sobre o caso, que acabou ganhando repercussão, inclusive com críticas a respeito da postagem.

“Chegaram a dizer que eu tinha colocado o caco de vidro no sabonete, o que é um absurdo. Não imaginei que teria essa repercussão”, afirmou ao G1 na época do fato, acrescentando que sempre adotou cuidado ao comprar produtos para o filho, que tem tendência à alergia na pele.

http://g1.globo.com/mato-grosso-do-sul/noticia/2013/04/pericia-em-sabonete-que-feriu-bebe-encontra-objeto-similar-vidro.html

Consumidora acha pedaços de vidro em lata de leite em pó, e Estado determina que lote seja recolhido

              
Ao comprar uma lata de leite em pó Ninho fases 1+, da Nestlé, para a filha de apenas seis meses, uma consumidora não imaginava o que iria encontrar no interior da embalagem: cacos de vidro. 

Os objetos cortantes foram descobertos quando a irmã da cliente feriu o dedo ao tentar identificar o item. 

Surpresa, a jovem buscou o Procon-RJ e denunciou a empresa. Ela foi encaminhada à Delegacia do Consumidor onde foi feito o registro de ocorrência. A lata de leite foi encaminhada para a perícia. 

A lata foi comprada, no domingo, no Supermercado Mundial, da Ilha do Governador.


— Fiquei indignada por isso ter acontecido com a Nestlé, que é uma marca tão conhecida. Acidentes acontecem mas, poderia ter ocorrido coisa muito pior com a minha filha — disse a consumidora, que preferiu não se identificar. 


De acordo com o Procon-RJ, a Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor determinou que a entidade providenciasse o recolhimento de todas as unidades do lote 2306046021 0707. 


Equipes de fiscalização do órgão seguiram para o os supermercados e, farmácias da Ilha do Governador para recolher todo o lote do produto denunciado. 


O Procon-RJ notificou a Nestlé que deve apresentar em até 24 horas a relação de todos os estabelecimentos para os quais foram distribuídos os produtos do lote em questão.


Até que a perícia indique que não há objetos cortantes no inteior das latas de leite em pó, tudo será recolhido. 


Procurada, a assessoria de imprensa da Nestlé não foi localizada.  

http://www.endividado.com.br/noticia_ler-35254,.html