Compra na web é mais racional do que na vida real, aponta levantamento de site

Para a maioria dos clientes (61%), ao comprar pela internet, eles estão mais conscientes do que em lojas físicas. Esse é um dos resultados de uma pesquisa foi encomendada por um site de comparação de preços chamado Kuantokusta em parceria com a empresa de pesquisas na web Netquest.

Participaram do levantamento 1.081 pessoas, não só consumidores do site. Os pesquisados responderam pela internet.

Um dos dados que aparecem é se a presença do vendedor, nas lojas físicas, faz com que os clientes se sintam pressionados a consumir: 11% disseram que sim, e 46%, às vezes.

Mas 61% deles disseram que, por não ter “presença humana” na internet, a compra na web é “mais consciente”.

Em relação às compras por impulso, 24% disseram ter sido na internet, 32% em lojas e 44% não se lembram.

http://www.endividado.com.br/noticia_ler-35411,.html

Consumidoras encontram fungos em embalagem de sucos

Um gosto estranho levou duas consumidores – uma do Rio e outra de Manaus – a encontrarem fungos no fundo de embalagens de sucos. As duas histórias foram contadas no Facebook, causando indignação de muito usuários.

No Rio, o problema foi encontrado na bebida de soja AdeS Original. A história foi contada ontem à noite na rede social e já teve mais de mil compartilhamentos:

“Imediatamente abri a embalagem e me deparei com este fungo nojento. Liguei para o SAC da empresa que me disse, com naturalidade e como se nada tivesse acontecido, que isso pode ocorrer devido a um defeito na embalagem, mas que eles iriam buscar o mesmo e me enviariam um novo produto! Estou indignada!!!”, disse a jovem.No suco Laranja Caseira, outra consumidora encontrou fungos na embalagem Foto: Reprodução da internet 
Em Manaus, o fungo foi encontrado no suco Laranja Caseira, produzido pela Coca-Cola. Pelo Facebook, a jovem contou que, no mesmo dia em que comprou a bebida, dia 8 deste mês, abriu a embalagem. Ao beber, achou o gosto diferente, mas não se importou. No dia seguinte, porém, ao se servir do suco percebeu que ele estava com uma cor estranha e com pedaços escuros. Ela, então, decidiu abrir a caixa.

“Ao abrir a caixa encontrei esse fungo nojento. Por mais que não seja nocivo à saúde, não há um cidadão que vá comprar um suco esperando fungos no fundo da caixa”, escreveu, em sua página na rede social.

No Facebook, a imagem do suco de laranja com fungos foi compartilhada por 37.693 usuários, até o início da noite de hoje. E 40.682 pessoas curtiram a publicação.

Procurada, a Coca-Cola disse que “as embalagens deste tipo não podem sofrer impacto ou ficar expostas ao tempo e a temperaturas extremas. A foto publicada pela consumidora mostra ou indica formação de bolor, normalmente causada por perda de vedação da embalagem por impacto.”

Por e-mail, a Unilever, fabricante do AdeS, alegou que a bebida “é um alimento 100% natural e sem nenhum conservante, feito com os mais rígidos padrões de produção para preservar todas as propriedades da soja, garantindo que todos os produtos saiam da fábrica em perfeitas condições para consumo.

A embalagem do produto foi desenvolvida para garantir que o produto seja protegido contra luz, umidade e gases, mantendo as suas características físico-químicas, sensoriais e microbiológicas. Porém, por tratar-se de um produto sem conservantes, tem maior vulnerabilidade caso haja algum tipo de dano em sua conservação”.

A Unilever ainda deu dicas de conservação do produto:

– Sempre verifique a data de validade

– Confira se a embalagem está com a tampa intacta

– Evite embalagens amassadas e rasgadas

– Armazene seu AdeS em local seco e arejado

– Após aberto, guarde seu AdeS na geladeira e consuma em até três dias

http://www.endividado.com.br/noticia_ler-35361,consumidoras-encontram-fungos-em-embalagem-sucos.html

Unilever recolhe AdeS de maçã contaminado com produto de limpeza

Unilever recolhe AdeS de maçã contaminado com produto de limpeza
SÃO PAULO – Um lote de AdeS deverá ser recolhido por estar impróprio para consumo pois contém produto de limpeza e pode causar queimaduras em caso de ingestão. As embalagens de AdeS Maçã foram distribuídas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.
Uma falha no processo de higienização causou o envase da bebida junto com solução para limpeza. De acordo com a Unilever, o problema na área de fabricação já foi detectado e resolvido.
Parte dos produtos foi recolhido ainda na fábrica e o restante será removido dos pontos de venda. Consumidores que já compraram bebida devem entrar em contato com a empresa através do SAC pelo número 0800 707 0044, das 8h às 20h, ou por sac at ades.com.br.
A Unilever do Brasil publicou um comunicado nesta quinta-feira, 14, para informar sobre recall da bebida sabor maçã na embalagem de 1,5 litro (lote

AGB 25, fabricado em 23/02/2013 e válido até 22/12/2013).

Veja na íntegra o comunicado da Unilever Brasil:
“A Unilever Brasil, fabricante do produto AdeS, informa que detectou um problema de qualidade em cerca de 96 unidades do produto AdeS Maçã 1,5l – lote com as iniciais AGB 25, fabricado em 25/02/2013, com validade até 22/12/2013 – que estão inapropriadas para consumo.
Os produtos do lote acima mencionado foram distribuídos nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.
Nessas unidades, foi identificada uma alteração no seu conteúdo decorrente de uma falha no processo de higienização, que resultou no envase de embalagens com solução de limpeza. O consumo do produto nessas condições pode causar queimadura.
A falha identificada já foi solucionada, os produtos existentes na empresa foram retidos e os ainda presentes nos pontos de venda já estão sendo recolhidos.
A empresa solicita que os consumidores verifiquem o produto já adquirido e, caso se trate do lote mencionado, não o consumam e entrem em contato gratuitamente pelo SAC no 0800 707 0044, das 8h às 20h, ou sac@ades.com.br.
Os produtos AdeS não correspondentes a esse lote encontram-se em perfeitas condições para consumo.
O processo que envolve este recall não apresentará qualquer custo ao consumidor.
A Unilever reforça seu compromisso com o consumidor e os rigorosos controles de qualidade.
Unilever Brasil”

http://estadao.br.msn.com/ultimas-noticias/unilever-recolhe-ades-de-ma%C3%A7%C3%A3-contaminado-com-produto-de-limpeza

Tecnisa é processada por clientes de obras atrasadas

Construtora é acionada na Justiça por cobrança considerada indevida de juro e multa sobre valor devido que ainda não pode ser quitado por atraso nas obras

São Paulo – A construtora Tecnisa está sendo alvo de ações na Justiça porque estaria cobrando indevidamente juros de mora e multa sobre os valores que os compradores de imóveis em São Paulo deveriam pagar apenas após a conclusão das obras, como se eles estivessem inadimplentes. Acontece que a entrega dos imóveis está atrasada, e a falta do “Habite-se” impede os compradores de obter financiamentos ou usar o FGTS para pagar os valores devidos.

Segundo o advogado Marcelo Tapai, especializado em direito imobiliário e que tem defendido alguns desses consumidores, os empreendimentos atrasados localizam-se nas cidades de Barueri, São José dos Campos, Cotia, toda no estado de São Paulo, além de dois na capital paulista: um na Freguesia do Ó e outro na Vila Nova Conceição. Em todos os casos, o atraso teria superado os 180 dias de tolerância previstos em contrato conforme a praxe de mercado, o que configura descumprimento de contrato.

Tapai explica que, ao comprar um imóvel na planta, o consumidor paga 30% à construtora, em parcelas estipuladas em contrato. Algumas delas podem chegar a se estender para depois que o imóvel for entregue. Os demais 70% podem ser pagos à vista, financiados ou pagos com recursos do FGTS, e a previsão para essa quitação é a data de entrega do imóvel. Como no caso dos empreendimentos da Tecnisa essa data já passou, a construtora estaria cobrando multa de 2% e juros de mora de 1% ao mês sobre os valores ainda devidos por seus consumidores.

Para o advogado, contudo, a cobrança é indevida, uma vez que quem está em atraso é a construtora. O comprador pode simplesmente não conseguir pagar, uma vez que, sem o “Habite-se”, não tem como obter financiamentos ou usar o FGTS. Ele já obteve liminares que suspendem as cobranças extras para seus clientes lesados. “O que a construtora está fazendo é obrigar o consumidor a aceitar um aditivo contratual para concordar com um novo prazo de entrega. Ou seja, o juro e a multa serão cancelados apenas se os compradores aceitarem esse aditamento”, acredita Tapai.

“Mas o consumidor não deve ceder”, completa, acrescentando que quem aceita esse tipo de aditivo contratual está abrindo mão de seus direitos, uma vez que concorda com um atraso maior do que o de 180 dias previsto. Segundo um comprador de um apartamento no empreendimento da Freguesia do Ó que não quer se identificar, a Tecnisa chamou seus clientes para assinar um aditivo contratual, mas ele não compareceu. “Não vou assinar, mas acho que algumas pessoas assinaram”, diz ele. Em nota, a Tecnisa afirma que “não convocou clientes para assinar aditivos com finalidade de prorrogar o prazo”.

Esse comprador afirma que já obteve liminar para suspender as cobranças de juros e multa sobre o seu saldo devedor e que vai entrar com uma ação para obter indenização, uma vez que teve de pagar aluguel por mais tempo do que o previsto. Ele conta que seu empreendimento estava previsto para o primeiro semestre de 2011, mas agora já tem um atraso de cerca de um ano e meio. Inicialmente ele ia financiar o saldo devedor, mas agora decidiu quitar uma parte à vista e usar o FGTS para abater o restante. “Mas eu dependo do ‘Habite-se’ de qualquer jeito”, diz ele, que espera o documento para novembro.

Na mesma nota, a Tecnisa nega que haja “cobrança de multa ou juros moratórios sobre a parcela com pagamento alternativo (FGTS, financiamento ou recursos próprios)”. A empresa afirma ainda que comunica oficialmente aos compradores quanto às alterações e os motivos de novas previsões de entrega das obras, frisando que, quanto à obra da Freguesia do Ó, “conforme informações já prestadas aos clientes, possui a previsão para obtenção do ‘Habite-se’ em novembro.” A empresa reitera ainda que tem prestado informações aos clientes por diversos meios e que as informações adicionais estão disponíveis no Departamento de Relacionamento com o Cliente.

Para quem sofrer algum tipo de cobrança indevida quando a entrega do imóvel atrasar, Marcelo Tapai orienta a não aceitar nenhuma promessa verbal nem aditamento de contrato. “E nunca deixe de pagar a cobrança por conta própria. É preciso conseguir na Justiça o direito de não pagar”, orienta Tapai, para que o consumidor não fique de fato inadimplente.

Fonte: Exame.com – 09/11/2012

6 dicas para não estourar o seu plano de dados

Chega de sustos no fim do mês. Confira as dicas do Baixaki para economizar seu plano de dados e evitar surpresas desagradáveis na conta do celular.

Por Alexandre Guiss em 22 de Agosto de 2011

Pacotes de dados ilimitados são uma raridade e, normalmente, com preços bastante altos (independente da operadora). Por isso, é bom segurar as transferências do seu smartphone e manter um registro de disponibilidade de dados.
Confira agora algumas dicas para reduzir e controlar seu plano de dados.

Controle melhor seu plano de dados

Potência não é nada sem controle. Essa frase já foi usada para vender amortecedores, mas se encaixa perfeitamente na nossa situação. Não adianta ter um plano de dados de 2 GB mensais se você acaba gastando 3 GB no fim do mês.
Existem alguns jeitos de evitar surpresas como essa e monitorar de perto quanto é que você está consumindo do seu plano de dados.

1. Software de controle


Independente se você possui um iPhone, um iPad ou um dispositivo com Android, existem programas para monitorar o consumo de dados. Em aparelhos da Apple, você pode usar o DataMan Lite. Se usar um Android, uma das melhores opções é o 3G Watchdog.
Ambos possuem suas peculiaridades, mas basicamente funcionam medindo a quantidade de dados enviados e recebidos pela sua conexão 3G ou Edge (também conhecida como 2G). Você insere as informações de vencimento do serviço (quando “zera” o contador de dados) e o tamanho do plano (200 MB, 2 GB, 10 GB etc.). O software então calcula a porcentagem de dados que você já consumiu no mês e emite avisos de alerta quando você estiver próximo de estourar seu pacote.
É bom lembrar também de sempre desabilitar a conexão de dados quando ela não for necessária. No Android, existem softwares, como o APN Droid, que adicionam widgets à Área de trabalho, permitindo ligar e desligar as conexões com apenas um toque.

2. Gerenciamento pelo painel da operadora

A maioria das operadoras possui um painel de controle para monitoramento das informações referentes à sua conta.
Normalmente esse serviço é contratado como uma adição ao plano e permite que o usuário visualize a quantidade de minutos utilizados no pacote de voz e a cota usada do plano de dados. Em muitos serviços, é possível enviar avisos via SMS caso os limites cheguem em 50, 75 e 90% de utilização, por exemplo.
O painel de controle normalmente pode ser acessado pela internet em qualquer computador online. Confira com a sua operadora sobre a disponibilidade do serviço. Às vezes, é melhor pagar uma pequena taxa pelo monitoramento e evitar cobranças enormes no fim do mês.

Diminua seu tráfego de dados

O objetivo de ter um plano de dados é ter conexão quando você precisar, onde você precisar. Por isso é melhor baixar seu consumo de megabytes, de forma que sobre alguma transferência para o fim do mês. Não adianta muita coisa um plano de 10 GB se você consome todo ele em 15 dias.

3. Use as conexões Wi-Fi ao seu redor

Muitos lugares oferecem aos seus clientes conexão sem fios de graça. Cafés, bares, hotéis e restaurantes deixam hotspots abertos, para qualquer um se conectar, ou com uma senha para conexão que pode ser pedida para qualquer funcionário do estabelecimento.
Não é vergonha pedir ao garçom a senha do wireless. Afinal de contas, o estabelecimento está cobrando por aquele serviço, embutindo essa comodidade no valor de todos os outros produtos que você consome.
Dessa forma, você usa a conexão sem fios do seu smartphone e não precisa deixar habilitada a conexão de dados para enviar e receber informações.
Na casa de amigos e parentes, é a mesma história. Assim, você pode estar sempre conectado e sem consumir seu plano sem parar.

4. Utilize um GPS offline

A maioria dos smartphones possui antenas de GPS embutidas, que permitem ao usuário manejar o smartphone como um aparelho de navegação. Muitos serviços, no entanto, dependem da transferência de dados para fazer os mapas funcionarem. Essa transferência é feita por meio do wireless ou da conexão 3G e Edge do seu aparelho.
Existem diversos softwares de navegação que utilizam mapas armazenados na memória interna ou externa do aparelho. Infelizmente a maioria desses aplicativos é paga, mas você pode experimentar as versões de demonstração do iGO Primo (para iPhone) e do Sygic: GPS Navigation (para Android).

5. Mantenha seus arquivos na memória, e não na nuvem

O Cloud Computing chegou para ficar. Serviços como o iCloud e o Google Music permitem que o usuário armazene suas músicas (e outros arquivos) em um servidor online e busque-os quando quiser, onde quiser. A ideia é ótima, mas, infelizmente, as tarifas de planos de dados ainda não acompanharam essa evolução.
Se você quer escutar músicas no seu smartphone ou tablet, armazene seus arquivos no cartão de memória externa. Além de estarem disponíveis para você à hora que forem necessários, você não corre o risco de ficar sem arquivos essenciais porque a região em que você se encontra está com a conexão ruim. E, não menos importante, evita o consumo de tráfego de dados no seu plano.

6. Vá “de leve” com o YouTube

A internet e todo o seu conteúdo são uma maravilha que mesmeriza facilmente seus usuários. Você deve, no entanto, se controlar e maneirar nos serviços de streaming de vídeo. Lembre-se de que um clipe em média qualidade no YouTube tem uma média de 4 MB por minuto.
Isso quer dizer que se você tiver um plano de dados de 200 minutos, pode assistir a apenas 50 minutos de vídeo no serviço (sem contar o carregamento das páginas e a navegação). Levando em conta que uma música tem em média quatro minutos, você pode assistir a pouco mais de 12 clipes por mês antes de estourar seu pacote de dados (novamente, levando em consideração apenas a média de streaming de vídeo, sem contar a navegação).
Isso serve também para videochamadas por 3G (nos aparelhos em que isso é possível) ou acesso remoto à câmera (caso você tenha instalado um software de monitoramento remoto, por exemplo).
Ou seja, se você quer poder navegar sem pagar extras por cotas excedidas, é melhor ficar longe de serviços de vídeo. Ou acessá-los apenas pelo Wi-Fi.

Não é só em smartphones e tablets

Vale lembrar que a maioria dessas dicas funciona também para quem tem um computador com modem 3G. É claro que você não vai baixar widgets do Android ou aplicativos para iPhone no seu laptop, mas atitudes como ativar o painel de controle da operadora e visualizar menos conteúdos online ajudam você a economizar nos dados desses dispositivos também.
. . . . .
Você tem alguma outra dica de como economizar no plano de dados para celulares e tablets? Deixe seu comentário aqui em baixo e ajude outras pessoas a salvarem bits e bytes que, de outra forma, seriam jogados fora.