Índice de confiança do consumidor tem leve queda em maio, diz FGV

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) recuou 0,4% entre abril e maio deste ano, divulgou nesta sexta-feira (24) a Fundação Getulio Vargas (FGV), confirmando a acomodação sinalizada no mês anterior, quando o índice havia ficado estável após seis meses em queda.

Em maio, o indicador passou para 113,4 pontos, ligeiramente abaixo da média dos últimos 60 meses, de 114,8 pontos.

“A pesquisa de maio registra discreta melhora das avaliações dos consumidores a respeito das situações atuais da economia e das finanças pessoais”, cita a FGV, em nota.

O quesito que mede o otimismo com a situação financeira das famílias nos seis meses seguintes foi o que mais influenciou a queda da confiança neste mês.

A parcela de consumidores que projetam melhora da situação financeira das famílias diminuiu de 41,3% para 38,7% e a dos que preveem piora aumentou de 4,3% para 5%.

A proporção de consumidores que avaliam a situação atual como boa, porém, aumentou de 24,2% para 24,6%. A dos que a julgam ruim diminuiu de 12,1% para 10,8%.

O Índice da Situação Atual (ISA), contudo, avançou 0,9%, para 122,7 pontos (mantendo-se, no entanto, abaixo da média dos últimos cinco anos, de 127,5 pontos).

O Índice de Expectativas (IE) recuou 1,2%, para 108,3 pontos, ficando praticamente idêntico à média histórica de 108,0 pontos.

O indicador de satisfação com a situação financeira da família aumentou 1,5% em maio, de 121,1 para 113,8 pontos, nível superior à média dos últimos 60 meses, de 122,2.

http://g1.globo.com/economia/noticia/2013/05/indice-de-confianca-do-consumidor-tem-leve-queda-em-maio-diz-fgv.html

FGV: Confiança do consumidor cai 2% em março

Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado dentro de uma escala de pontuação de até 200 pontos (sendo que, quando mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), foi de 116,2 pontos em fevereiro para 113,9 pontos em março, o menor nível desde março de 2010 (111,6 pontos).

O ICC é dividido em dois indicadores. O Índice de Situação Atual (ISA) mostrou queda de 3,4% este mês após mostrar queda de 2,3% em fevereiro. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 1,5% em março após apresentar queda de 0,8% em fevereiro.

“A comparação dos níveis deste indicadores com as respectivas médias históricas mostra que o consumidor brasileiro encontra-se hoje pouco satisfeito com a situação atual e neutro (nem otimista nem pessimista) em relação ao futuro próximo”, informou a FGV em comunicado oficial.

Ainda segundo a fundação, o ICC caiu 7,0% em março na comparação com igual mês em 2012. No mês passado, o indicador nesta comparação havia caído de forma menos intensa, tendo registrado queda de 3,0% ante fevereiro de 2011.

O levantamento abrange amostra de mais de 2 mil domicílios, em sete capitais, com entrevistas entre os dias 1º. e 20 de março.

http://br.financas.yahoo.com/noticias/fgv-confian%C3%A7a-consumidor-cai-2-111900555.html

Confiança do consumidor cai em fevereiro, aponta FGV

A confiança do consumidor caiu pelo quinto mês consecutivo em fevereiro. É o que revelou nesta terça-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV) ao divulgar o Índice de Confiança do Consumidor (ICC), que mostrou queda de 1,4% neste mês ante janeiro, após cair 0,7% em janeiro contra dezembro, na série com ajuste sazonal. Com o resultado, o desempenho do indicador, que é calculado dentro de uma escala de pontuação de até 200 pontos (quanto mais próximo de 200, maior o nível de confiança do consumidor), foi de 117,9 pontos para 116,2 pontos de janeiro para fevereiro.
“Nos últimos três meses, a diminuição da confiança dos consumidores vem sendo influenciada em maior magnitude pela diminuição da satisfação com a

situação atual do que das expectativas em relação aos meses seguintes”, informou a FGV, em nota oficial.

O ICC é dividido em dois indicadores. O Índice de Situação Atual (ISA) mostrou queda de 2,3%, ao passar de 131,9 para 128,9 pontos, o menor nível desde abril de 2010 (126,2). No mês anterior, o ISA havia caído 1,2%. Já o Índice de Expectativas (IE) caiu 0,8%, de 110,5 para 109,6 pontos, o menor desde fevereiro de 2012 (108,3 pontos). Em janeiro, o IE havia caído 0,7%.
“No que tange aos temas pesquisados, a queda do ICC nos últimos meses tem sido influenciada principalmente pelos quesitos relacionados à situação econômica local, tanto nas avaliações sobre o momento presente quanto nas expectativas para os meses seguintes”, segundo a FGV.
O levantamento abrange amostra de mais de 2.000 domicílios, em sete capitais, com entrevistas entre os dias 31 de janeiro a 23 de fevereiro.

http://br.financas.yahoo.com/noticias/confian%C3%A7a-consumidor-cai-fevereiro-aponta-111500580.html